Projeto de Nação

O nosso país nasceu torto e nunca se endireitou porque nunca construiu um projeto nesse sentido

Por ONOFRE RIBEIRO 04/10/2017 - 16:23 hs

Já escrevi sobre este tema em outra oportunidade. Retomo agora por conta das circunstâncias atuais no Brasil.

O nosso país nasceu torto e nunca se endireitou porque nunca construiu um projeto de Nação. E todas as vezes em que houve oportunidade, suas lideranças sabotaram.

Preciso compreender isso.

Os Estados Unidos são um bom exemplo, por algumas semelhanças. Os peregrinos que fugiam das perseguições religiosas na Inglaterra, Irlanda e Holanda se estabeleceram nas colônias inglesas na América, em 1620.

Eram nobres desapropriados pelo governo, e algo como uma classe média protestante.

Percebendo que não tinham retorno pra Europa por conta do radicalismo religioso-católico, precisavam construir uma nação na América.     

Em 1636, construíram a Universidade de Harvard com a missão de estruturar um pensamento filosófico que mais tarde daria origem ao projeto de nação dos atuais  Estados Unidos.

O espírito inicial consagrou-se e construiu a partir dele um estilo de pensamento econômico, político e social.

Ainda hoje, Harvard é um modelo do pensamento capitalista norteamericano.

De lá saem as cabeças que dirigem a política e os modelos da construção nacional.

Outras universidades como Yale, Califórnia, Stanford, MIT, Columbia, Princeton, seguem semelhante orientação filosófica voltada ao projeto de uma nação com vocação de liderança mundial.

Em 1932, os empresários do café da nascente indústria paulista, criaram a Universidade de São Paulo – USP, com a mesma missão: construir um projeto de poder político e econômico pensando no futuro do estado de São Paulo.

O resultado está claro. São Paulo é a grande locomotiva brasileira.  

Na década de 1960, a Universidade de Brasília foi criada com a filosofia de conduzir a ocupação do Centro-Oeste brasileiro a partir de Brasília como capital do país.

A Universidade Federal de Mato Grosso daria o passo seguinte ao da UnB. Mas perdeu-se no caminho...

Conclusão deste artigo é que, sem um projeto de nação ou, quem sabe, do Estado de Mato Grosso, nunca saiamos das utopias sobre um futuro caindo do céu.

Futuro se pensa e se constrói!

ONOFRE RIBEIRO é jornalista em Mato Grosso

onofreribeiro@onofreribeiro.com.br  

www.onofreribeiro.com.br