Sonhos possíveis

Um deles é que a nossa UFMT passasse a ser centro de referência internacional em altos estudos

Por ALFREDO MENEZES 07/11/2017 - 16:23 hs

Sonho 1. Quem sabe surja na UFMT um Núcleo de Estudos Sul Americano. Em que esta universidade passasse a ser centro de referência internacional nesses estudos.

Muitos vão querer estudar a cultura indígena, a arte colonial, relações nas fronteiras, violência, tráfico de droga ou o que for.

Outros, a economia e as relações comerciais entre os países da região.

Ou a integração econômica dos países andinos ou no Mercosul ou ainda no Centro Oeste Sul Americano, aquela composta pelo norte da Argentina, parte do Peru, pelo Paraguai, Bolívia e os dois Mato Grosso. Um mundo de estudos se abriria para a UFMT.

Sonho 2. Quem sabe um dia a hidrovia Paraguai-Paraná volte a ser o que foi no passado deste estado. Por ali era a ligação com a região do Prata e com o Rio de Janeiro.

Quem sabe ainda seja construído o Porto em Morrinhos. Com isso abriria para MT uma ligação maior com todos os países do Mercosul.

Comércio dentro de uma integração econômica pelo meio mais barato de transporte, o fluvial.

Existe estudo de viabilidade econômica, técnica e ambiental sobre essa alternativa de escoar produção. Já houve apresentação disso em Cáceres, Corumbá, Cuiabá e Brasília.

Sonho 3. Quem sabe saia o asfalto para os países andinos através da Bolívia.

Se ocorrer, o comércio explode na área, também o turismo com os Andes e de lá para cá também.

Milhares de famílias daqui iriam por carro fazer turismo nos países dos Andes.

Com o asfalto, aquela enorme quantidade de terras sem produção nenhuma entre San Matias e San Inácio teria a presença de gentes do agronegócio daqui do estado.

Ajudaria a crescer a economia regional, tiraria muitos do tráfico de drogas na fronteira.

Sonho 4. Pelos Andes ou pelo Mercosul, a agroindústria na ZPE de Cáceres faz também parte desse antigo sonho regional para o estado.

Sonho 5. Não demora e teremos um dos antigos sonhos realizados: o voo entre Cuiabá e Santa Cruz de la Sierra.

Se as agências de viagens daqui e de lá se entenderem haverá um boom turístico em ambas as direções.

Até mesmo a viagem para os EUA ficaria mais perto e mais barata. Se iria a Santa Cruz e dali a Miami.           

Sonho 6. Quem sabe também volte o que quase houve antes, uma Zona de Livre Comércio em San Matias.

A Fecomércio não vai gostar disso, mas entre comprar coisas lá em Pedro Juan Cabalero ou em San Matias por que não deixar essa renda em nossa fronteira e não na outra?

O sonho de antes falava que haveria ônibus gratuitos saindo toda manhã da Praça Santos Dumont, em Cuiabá, para San Matias e voltariam à tardinha com as pessoas que fossem fazer compras ali.

Um dia isso tudo ocorrerá e Mato Grosso vai estar mais ligado nas coisas regionais do que no longínquo litoral brasileiro.

ALFREDO DA MOTA MENEZES é historiador e analista político em Cuiabá.

pox@terra.com.br

www.alfredomenezes.com