Após 12 anos sem investir em pavimento, Araguaiana inicia 2018 com 4 km asfaltados

O primeiro ano de mandato trouxe conquistas na área da urbanização, entre outras. Também garantiu a viabilização do cais do porto, que é uma das maiores promessas da gestão

Por Kayc Alves/Da Redação 11/01/2018 - 16:25 hs

Foto: Reprodução
Após 12 anos sem investir em pavimento, Araguaiana inicia 2018 com 4 km asfaltados
Prefeito Getúlio Dutra, de Araguaiana: obras de infraestrutura

O município de Araguaiana fechou o ano de 2017 com quase 1 milhão de investimento em pavimentação no perimetro urbano. Essa foi uma das maiores conquistas do município, no primeiro ano da gestão Getúlio Dutra, junto ao investimento na manutenção das estradas vicinais e à atenção ao setor do turismo. No ano em que Araguaiana sediou o maior festival de jeep cross de Mato Grosso, a Prefeitura também viabilizou o projeto da construção do cais do porto, obra de deve iniciar ainda este ano.

O resgade do projeto de uma gestão anterior foi o que garantiu a execução de 4 km lineares de asfalto no município. Orçado em R$ 960 mil, a obra teve o aporte de R$ 212 mil do governo do estado, e a Prefeitura arcou com a outra parte do custo. O projeto estava engavetado desde a gestão de Pedro Paschoal (2008-2012), e o recurso estadual voltaria ao cofre caso a execução não fosse viabilizada.

"O dinheiro já estava sendo praticamente devolvido e nós fizemos gestão em cima e conseguimos trazer o asfalto", conta o prefeito Getúlio Dutra.

Depois de 12 anos sem nenhum metro de pavimentação nova, Araguaiana inicia o ano com uma estimativa de 65% de asfaltamento concluído. Alguns dos problemas associados à falta de asfalto no município eram a poeira, no período de estiagem, e a lama, no tempo chuvoso.

Se no perímetro urbano, a ordem é asfalto, nas regiões interioranas, a administração aplica o recurso do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) para fazer a manutenção das estradas e pontes. Além dos constantes reparos nas estradas vicinais, no ano de 2017, o município reformou quatro postes e construiu uma.

Com o bloqueio no trecho da MT-100, ocasionado por danos na ponte sobre o córrego Ouro Fino, entre Barra do Garças e Araguaiana, a administração construiu um desvio. A ideia é que o tráfego entre os municípios não seja prejudicado. A Prefeitura busca manter a região rural em ordem para que não haja nenhum obstáculo ao escoamento de graus, ramo da agricultura importante para a economia municipal.

Todo o aparato de infraestrutura que o município executou em 2017 deve dar suporte ao cais do porto, uma das principais apostas da gestão em investimento. Quando terminada, a obra, que deve começar a ser executado no início desse ano, representará um custo de R$ 2,5 milhões.

O complexo portuário foi projetado pela P1 Arquitetura e Engenharia e compreenderá uma área de 10 mil metros quadrados, na beira do Araguaia.

O cais porto vai possibilitar uma nova realidade ao turismo do município de Araguaiana. No entanto, os benefícios da obra não se limitam ao setor. A previsão da prefeitura é que a economia também dê um salto, vista a produção de renda das atividades turística, bem como outros desdobramentos como a valorização imobiliária das regiões que cercam o complexo de lazer, às margens do rio.

O turismo tem ganhado atenção no município e 2017 também foi o ano em que o setor recebeu um dos maiores eventos radicais de Mato Grosso. A 7ª edição do Quanta Lameira, o mais importante festival de jeep cross do estado, reuniu motoristas de todo o Brasil e foi ao ar em rede nacional de televisão. Segundo o deputado Baiano Filho, que destinou emenda parlamentar ao projeto, o evento despontou Araguaiana e a região do Araguaia para o Brasil.