Um leigo no Pantanal

Um leigo no Pantanal

Por ALFREDO MENEZES 02/08/2018 - 14:12 hs

A Transpantaneira, entre Poconé e Porto Jofre, tem 150 quilômetros. Estrada de terra e com muitas pontes. É pecado falar em asfaltar aquela rodovia? Com asfalto o turismo aumentaria muito para aquela região. Ou não se asfalta com receio justamente desse aumento?

O turismo por aquele lado do Pantanal impressiona. Na região do Porto Jofre, quatro rios (Três Irmãos, São Lourenço, Piquiri e Cuiabá) criam condições especiais para a vida animal. É enorme a quantidade de turista estrangeiro, incluindo cinegrafistas e fotógrafos, principalmente da Inglaterra e EUA.

Ouve-se cada estória no Pantanal sobre esses turistas. Escolho uma. Um grupo de turistas franceses num barco-hotel pediu que desligassem todo ar condicionado e abrissem as janelas naquela hora em que os mosquitos chegam à noitinha. Tinham, continua a estória, feito pesquisa antes e sabiam que aqueles pernilongos não tramitem doenças. Deixaram-se picar a vontade, tiraram fotos e espalharam isso pelo mundo.

Nenhum estrangeiro quer saber de pescar, querem ver a natureza e se tem uma mania em fotografar ou filmar onça pintada. Elas estão em todas as partes.


Ouve-se dos pantaneiros historias sobre o aumento delas na região. Que houve um programa para ressarcir donos de fazendas que tivesse boi morto por onça. O programa morreu por espertezas de alguns fazendeiros para receber aquele dinheiro. Mas perceberam que onça dá turismo, emprego e renda para a região e diminuíram a matança daqueles animais.


Mas, sei lá, parece que a maior alimentação da onça hoje sejam os jacarés. Por falar nisso, outra pergunta: daria para se fazer um controle da quantidade desse animal no Pantanal? Calma, nada de matança.


Quem sabe o caso do estado da Louisiana nos EUA ajude a pensar em alternativas. Fazem controle no pantanal deles coletando a maior parte dos ovos. Deixam uma quantia para manter o equilibro ambiental e o resto se leva para encubadeiras e criam os jacarés em cativeiro. Vendem a carne e o couro mais tarde.


Ouve-se falar que o inteiro Pantanal no Brasil teria 10 ou mais milhões de jacarés. É muito? Cortemos para cinco milhões. Já imaginou se cada um deles comesse meio quilo de peixes por dia? Não dá nem para conversar sobre o programa lá dos Estados Unidos?


Mas, na verdade, a maioria dos pantaneiros diz que o motivo principal da diminuição de peixe seria a pesca predatória. A fiscalização no Pantanal, no caso, teria que ser muito mais efetiva do que é hoje.


Vem cá, tem estatística de quantos turistas frequentam o Pantanal de Mato Grosso? Do que eles mais gostam? O que para eles estaria errado ou poderia melhorar? O MS tem esses levantamentos, em MT não sei não.


Por que diabos o MS recebe mais turista que MT? Lá tem o Pantanal e a região de Bonito. Aqui tem Pantanal, Nobres, Araguaia, Floresta Amazônica, Chapada, além da arquitetura, música e gastronomia de Cuiabá e vão mais gentes para lá? Como se explica isso?

 

ALFREDO DA MOTA MENEZES é analista político