Mochila deixada em banco de Barra do Garças não era bomba

Os policiais descobriram apenas pertences pessoais no interior do objeto

Por Da Redação 09/01/2019 - 10:37 hs

Foto: Reprodução

A Polícia Militar (PM) confirmou, ainda na madrugada desta quarta-feira (9), que não continha explosivos a mochila deixada em uma agência do Banco Bradesco, em Barra do Garças. Após quatro horas de averiguação, os policiais descobriram apenas roupas e outros objetos pessoais. O dono dos pertences não foi localizado.

 

A polícia foi acionada por volta das 23h, da terça (8), quando um homem teria deixado a mochila na agência, localizada na avenida Ministro João Alberto. Com o auxílio do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), o isolamento se estendeu até às 3h desta quarta, quando foi confirmado que não havia nenhum explosivo no interior da mochila. Ainda não há informações sobre quem possa tê-la deixado no local.

 

O fato assustou a população em decorrência de notícias frequentes de explosões em bancos. Barra do Garças já registrou explosão de caixas eletrônicos, com a última ocorrência datada de 2015, quando ladrões agiram no terminal instalado no pátio de um supermercado.

 

Um fato histórico para o município, envolvendo explosivos, ocorreu em 2009, quando uma bomba destruiu uma loja de materiais elétricos em pleno horário comercial. Uma caixa com o carimbo do Sedex, foi entregue por um mototaxista no estabelecimento. O objeto era destinado ao proprietário, mas quem abriu foi um funcionário.

 

A vítima de 26 anos, na época, sofreu graves queimaduras e teve uma mão amputada. Tetos e paredes da loja cederam, mas nenhuma outra pessoa ficou ferida.


Segundo suspeitas da Polícia Civil, na época, o ataque pode ter sido motivado por conflitos familiares, envolvendo a disputa de bens da família do proprietário. A bomba teria sido fabricada fora do Brasil.