Facção criminosa pode estar envolvida em queima de ônibus em Aragarças

Cinco suspeitos presos, que se dizem integrantes do Comando Vermelho, assumiram a autoria do crime como represália a morte de outro criminoso

Por Kayc Alves/Da Redação 11/02/2019 - 11:29 hs

Foto: Reprodução
Facção criminosa pode estar envolvida em queima de ônibus em Aragarças
Chamas consumiram veículos da Prefeitura de Aragarças

Um conjunto de Forças de Segurança prendeu, na tarde deste domingo (10), cinco suspeitos de atearem fogo em veículos da prefeitura, em Aragarças. Eles se identificaram como integrantes da facção criminosa Comando Vermelho (CV) e assumiram o crime, como ato de represália pela morte de outro criminoso. O incêndio deixou sete ônibus escolares e mais dois veículos oficiais destruídos.


O incêndio aconteceu na madrugada de sábado para domingo. Os ônibus, um coletor de corpos do Instituto Médico Legal (IML) e uma ambulância, atingidos pelo fogo, estavam estacionados no pátio da Secretaria Municipal de Obras. A Polícia Civil de Aragarças, em operação com as Polícias Militares do Goiás e de Mato Grosso, passaram o domingo a procura dos responsáveis pelo crime.


Cinco suspeitos, entre 18 e 25 anos, foram detidos e podem estar envolvidos no incêndio. Segundo informa a Polícia Civil, a possível razão do crime seria uma represália, motivada pela morte de Jéferson Alves Martins, conhecido como Jefinho. Suspeito de furtar gado, ele morreu em confronto com a Polícia Militar, na zona rural de Bom Jardim de Goiás.


Segundo informações apuradas pelo site Araguaia Notícia, eles teriam assumido a autoria do crime e admitiam serem integrantes do Comando Vermelho (CV).


Prejuízo


O fato resultou em um prejuízo estimado na casa dos milhões ao município de Aragarças. A destruição dos nove veículos, além de prejudicar as atividades do serviço de saúde e do IML, faz com que o município suspenda o atendimento aos estudantes que utilizam a frota de ônibus escolares.


A Secretaria Municipal de Educação informou ainda ontem que, entre os dia 11 e 15 de fevereiro, não haverá transporte escolar. Além dos estudantes do ensino básico, ficam sem o serviço os universitários, público também atendido pelo transporte do município.


Conforme informou a assessoria de comunicação da prefeitura, o prefeito José Elias (Pros), agora, pede o auxílio dos governos estadual e federal para a aquisição de uma nova frota de veículos.