Projeto de unidade prisional leva reformas a instituições de Barra do Garças

Os reeducandos que trabalham no projeto têm experiência com redes elétricas e hidráulicas, construções e reforma.

Por Raquel Teixeira/Sesp-MT 15/04/2019 - 10:18 hs

Foto: Reprodução
Projeto de unidade prisional leva reformas a instituições de Barra do Garças
Para cada três dias trabalhados, eles recebem remição de um dia na pena

Escolas e um centro de atendimento a pessoas com deficiência de Barra do Garças ganharam outro visual com a reforma e limpeza feita por reeducandos da unidade prisional local. Por meio do projeto Amigos da Escola, criado pelo agente penitenciário Gustavo Ferraz, foram realizados serviços de limpeza, reparos elétricos e hidráulicos, pintura, jardinagem, poda de árvores e pequenas construções.

Na Escola Estadual Filinto Müller, que atende em torno de 470 estudantes nos ensinos fundamental e médio, o ambiente ganhou mais cores com pintura da quadra e desenhos de jogos como dama e amarelinha. Outros serviços de reparos, limpeza e pintura também foram realizados no prédio.

Os reeducandos que trabalham no projeto têm experiência com redes elétricas e hidráulicas, construções e reforma. O coordenador do projeto destaca a importância de aplicar essas habilidades que os presos já possuem na prestação e serviços para a população.

“Desde que iniciamos o projeto, em 2017, a procura tem sido grande pelo resultado obtido. É um ganho para os reeducandos que tem uma ocupação e também para quem precisa dos serviços de reforma, como é o caso das escolas públicas”, explica Gustavo.

Apae e centro de equoterapia

A Associação dos Pais e Amigos de Pessoas com Deficiência (Apae) é uma das instituições beneficiadas com o Amigos da escola. Em uma reforma que durou três meses, iniciada em dezembro passado, o prédio foi totalmente restaurado, ganhou calçadas na área externa, limpeza e também a instalação e pintura de um ponto de ônibus em frente à escola, para que pais e estudantes possam aguardar condução abrigados do sol e chuva.

As atividades feitas pelos reeducandos fazem parte da colaboração voluntária desenvolvida pelo projeto, resultando em ganhos para quem participa e quem recebe os benefícios das reformas. A seleção deles é feita por uma equipe técnica da unidade prisional e o trabalho extramuros recebe prévia autorização da direção da cadeia e do juiz da Execução Penal. Para cada três dias trabalhados, eles recebem remição de um dia na pena.

O “Amigos da Escola” trabalhou no ano passado em escolas estaduais como a Apae, Nossa Senhora da Guia, no Jardim Bela Vista, Irmã Diva Pimentel e Marechal Eurico Gaspar Dutra.

O diretor da unidade prisional, Jailson André Costa, pontua que a inciativa criada pelo agente penitenciário Gustavo deu tão certo que há lista de espera de instituições públicos para realização dos serviços.

O centro de equoterapia de Barra do Garças, que atende pessoas com deficiência para atividades terapêuticas com animais, também ganhou as atividades do projeto Amigos da Escola. O espaço teve salas reformadas, banheiros receberam assentamento de cerâmica e foi construída uma rampa para acesso dos cadeirantes aos animais.

Próximas obras

Gustavo Ferraz diz que tem mais quatro atividades programadas para os próximos meses que incluem serviços nas escolas Jardim Araguaia e Nossa Senhora da Guia em Barra do Garças; creche Padre Miguel e a feira coberta na cidade de Pontal do Araguaia e a reforma da creche de uma instituição religiosa em Aragarças, cidade ao lado de Barra do Garças, que pertence a Goiás. “Todas as atividades externas são autorizadas pelo juiz e temos sempre agentes penitenciários no acompanhamento”.