Organizador contesta comentário de vereadores sobre Festa de Santo Antônio

Organizador contesta comentário de vereadores sobre Festa de Santo Antônio

“Esses vereadores não conhecem a realidade da cultura de Barra do Garças”, comenta coordenação

Por Kayc Alves/Da Redação 11/06/2018 - 10:06 hs

Foto: Reprodução
Organizador contesta comentário de vereadores sobre Festa de Santo Antônio
Festa de Santo Antonio é realizada na Praça da Matriz

A organização da Festa de Santo Antônio comentou o questionamento de três vereadores referente ao repasse de R$ 25 mil ao evento, em Barra do Garças. Segundo o Coordenação Geral da festa, aqueles que votaram contrário ao projeto do Executivo que destina o recurso municipal não conhecem a realidade cultural da região.

“A gente respeita a opinião e o voto deles, mas foram infelizes no comentário porque estão fazendo comparações chulas”, destaca o coordenador Irineu Alves. Para ele, não se pode comparar eventuais festas de outras religiões com a festa do padroeiro da cidade, que ocorre há 67 anos e é tradicional em Barra do Garças. “Os vereadores não conhecem a realidade da cultura de Barra do Garças.”

A contestação refere-se ao comentário do vereador João Rodrigues de Souza, o Joãozinho (PDT), na tribuna, na semana passada, segundo o qual o dinheiro público “tem outra finalidade”. “Aí nós teríamos que dar o mesmo valor para as igrejas evangélicas e para as instituições espíritas, por exemplo”, disse, ao falar no mérito sobre o projeto do Executivo que destina o recurso à festa.

Além de Joãozinho, também votaram contra a destinação do recurso, os vereadores Francisco Cândido da Silva, o Garrincha dos Animais (PV), e Alex Matos.

Irineu lembra que a festa rememora sua própria história e a história do município. Ele destaca que o evento homenageia uma série de líderes que fundaram Barra do Garças. “Ela já vem desde os grandes líderes Wilmar Peres, Valdon Varjão e Ladislau  Cristino Cortes, que sempre a apoiaram. O evento é um legado deixado pelo fundador da cidade, Antônio Cristino Cortes, ainda na década de 1940.”

A lei municipal nº2.764, de 6 de junho de 2006, assinada pelo ex-prefeito Zózimo Wellington Chaparral Ferreira, autoriza a inclusão da Festa de Santo Antônio no “Calendário Nacional de Eventos”. Mas na Agenda do Ministério do Turismo, ainda não consta o evento de Barra do Garças.

No último março, a Câmara aprovou o projeto do Executivo que institui o Calendário Oficial de Eventos de Barra do Garças. Além da festa em homenagem ao padroeiro da cidade, a lei 3.961 também agrega a chamada Semana Santa do Araguaia. O evento chama a atenção pela procissão terrestre, que geralmente ocorre na Avenida Salomé Rodrigues, e pela “Procissão dos Barquinhos”, no rio Araguaia. Em 2017, o poder público destinou pelo menos R$ 35 mil ao rito católico.

O coordenador Irineu explicou que o arrecadado da festa custeia despesas de toda a Paróquia Santo Antônio, composta por quatro capelas. Na semana passada, o pároco padre Alfredo Haidler disse à reportagem que o evento ainda ajuda no custeio de “obras da igreja”, tanto estruturais como sociais.