Médica é indiciada por homicídio, omissão de socorro e embriaguez

Médica é indiciada por homicídio, omissão de socorro e embriaguez

Médica estava embriagada, dirigia a 103 km/h, atropelou verdureiro e fugiu sem prestar socorro. Para a polícia, médica assumiu conscientemente o risco do acidente.

Por Wellington Peres/ G1 07/08/2018 - 10:07 hs

Foto: G1

A médica dermatologista Letícia Bortolini, de 37 anos, que atropelou e matou um verdureiro em abril deste ano, na Avenida Miguel Sutil, em Cuiabá, foi indiciada pela Delegacia Especializada de Delitos de Trânsito (Deletran) de Cuiabá. Francisco Lucio Maia, de 48 anos, empurrava um carrinho quando foi atropelado e morto.

Em nota divulgada nesta sexta-feira (3), a Polícia Civil informou que o inquérito do caso foi concluído e a médica foi indiciada pelos seguintes crimes: homicídio doloso (quando há intenção de matar), omissão de socorro, fuga de local de acidente e embriaguez ao volante.

O G1 ligou para a advogada da médica, mas foi informado que ela estava em reunião. Atualmente a médica responde pelo crime em liberdade.

De acordo com a Deletran, a Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) constatou em laudo que a velocidade média de impacto do veículo da médica, um Jeep Compass, era de aproximadamente 103 km/h.

Assumiu o risco

No inquérito policial, conduzido pelo delegado Christian Alessandro Cabral, informou que analisou todo o conjunto de fatores do acidente, levando em consideração o comportamento da vítima e, principalmente, o da médica durante e depois do acidente.

Para Cabral, a médica ‘assumiu conscientemente o risco de produzir o acidente, razão pelo qual foi alterado o indiciamento’.

Na conclusão do inquérito policial, o delegado considerou que o fato da vítima apresentar capacidade psicomotora comprometida por elevado estado de embriaguez, confirmado em laudo pericial.

A polícia concluiu que Francisco atravessou fora da faixa de pedestre enquanto empurrava o carrinho.

Por outro lado, conforme relatório do delegado, os mesmos elementos revelam que a médica ‘foi absolutamente incapaz de prever e evitar o fatídico atropelamento da vítima, o que é consonante com a embriaguez e excesso de velocidade discutidos nos autos’.

O acidente

O atropelamento do verdureiro ocorreu por volta de 20h do dia 14 de abril. O veículo da médica seguia pela Avenida Miguel Sutil, sentido bairro/Centro.

A vítima foi atingida pelo veículo no momento que terminava de atravessar o via.

O verdureiro tentava subir com seu carrinho na calçada quando foi atingido pelo carro e morreu no local.

O veículo não parou para prestar socorro e foi encontrado em um condomínio no bairro Jardim Itália, na capital, após uma testemunha seguir o veículo e informar a polícia.