Canarana - Algodoeira quer área do município para se instalar

Por Jornal O Pioneiro 11/09/2018 - 15:26 hs

Foto: Jornal O Pioneiro

O prefeito Fábio Faria, acompanhado dos vereadores Ederson Porsch (Soni) e Rafael Govari, recebeu na quarta-feira, 05, na Prefeitura, um grupo de investidores que quer plantar e beneficiar algodão em Canarana. A cultura já é muito forte na região de Campo Verde e no Médio Norte do Mato Grosso, mas ainda não tinha se desenvolvido no Araguaia.

Fabiano Ludwig, representando o Grupo Tauá, disse que foi feito no último ciclo um experimento da cultura na fazenda Córrego Fundo, que fica entre os municípios de Água Boa e Canarana. Segundo ele, o resultado foi positivo para o plantio de algodão na região. O Grupo Tauá decidiu então plantar na próxima safra 2 mil hectares, mas para isso é preciso ter uma algodoeira para processar o produto.

Presente na reunião estava o empresário Neuri Fronza da Algo Sucesso, de Campo Verde. Eles analisaram a região e entenderam que a melhor localização para a algodoeira seria no distrito do Garapú, que fica a cerca de 40 km da fazenda. Além da localização, outros benefícios da instalação no Garapú é a oferta de mão de obra e de serviços básicos às famílias dos funcionários, diferente se a empresa se instalasse dentro da própria fazenda.

Porém, para que o empreendimento venha para Canarana, eles pediram a sessão de 10 hectares, onde será instalada a algodoeira. O prédio ocupa aproximadamente meio hectare e o restante é para a colocação dos rolos de algodão. No primeiro ano serão plantados dois mil hectares na fazenda Córrego Fundo, chegando a oito mil hectares em quatro anos. Com oito mil hectares, serão necessários 120 funcionários diretos na algodoeira.

Além da fazenda Córrego Fundo, a Algo Sucesso poderá atender outros produtores. A área de 10 hectares é justamente prevendo esse aumento. Além do Grupo Tauá, outros produtores e empresas já se preparam para plantar algodão na região de Canarana, que tem as condições, como altitude, ideais para a cultura. Conforme informações, o Grupo Bom Futuro irá plantar 12 mil hectares na próxima safra na fazenda Cocal, também em Canarana.

Ainda no dia 05, o prefeito, vereadores e os empresários foram até o Garapú para olhar áreas em potencial. Também já foi conversado com proprietários das terras. O desafio agora é encontrar uma área propícia e com valor que a Prefeitura possa pagar, além de agilizar os trâmites burocráticos. Isso porque eles têm urgência e querem começar a construção da algodoeira em no máximo 30 dias para dar tempo de ficar ponto e atender a safra da fazenda Córrego Fundo neste próximo ciclo.

Conforme o prefeito Fábio Faria, Canarana não pode perder oportunidades como essa, pois é uma cultura que gera muita renda e emprego e pode fomentar mais uma cadeia produtiva em Canarana. Para fins de comparação, somente na cidade de Campo Verde existem 22 algodoeiras, gerando emprego e renda.