POLÍCIA Terça-feira, 15 de Agosto de 2023, 13:14 - A | A

15 de Agosto de 2023, 13h:14 - A | A

POLÍCIA /

Operação Malogro resulta em bloqueio judicial de R$ 20 milhões de organização criminosa

A investigação da Polícia Civil apura crimes de tráfico de drogas, organização criminosa e lavagem de capitais

Assessoria | Polícia Civil-MT



A Operação Malogro deflagrada pela Polícia Civil, na última sexta-feira (11.08), em Confresa, resultou no bloqueio judicial de R$ 20 milhões e na paralisação de empresas fantasmas em investida contra organização criminosa atuante no tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.

Ao todo foram cumpridos 39 ordens judiciais, sendo dez mandados de prisão preventiva, seis de busca e apreensão, nove bloqueio de valores totalizando mais de R$ 20,3 milhões, quatro mandados de sequestro de bens móveis, sete mandados de indisponibilidade de bens imóveis e três mandados de suspensão de pessoa jurídica.

A investigação da Delegacia de Confresa desencadeou uma ação estratégica, visando desestruturar uma organização criminosa, que vinha atuando no tráfico de drogas e lavagem de capitais em diversas cidades de Mato Grosso.

Os mandados tiveram como alvos suspeitos e endereços nos municípios de Confresa, Paranatinga, Rondonópolis, Vila Rica e Cuiabá, bem como teve como objetivo coletar evidências a fim de desarticular a respectiva estrutura criminosa.

Na segunda-feira (14), a Justiça determinou o bloqueio do exorbitante valor de R$ 20 milhões, proveniente da venda de entorpecente e movimentação da organização durante o período de investigação.

Outra medida cautelar decretada pelo Poder Judiciário foi a indisponibilidade de bens pertencentes aos investigados, o que buscar prejudicar e desfazer o aparato financeiro da organização criminosa.

Conforme o delegado de Confresa, Victor Donizete Oliveira, os R$ 20 milhões bloqueados representam um ataque direto aos recursos do grupo, limitando suas capacidades de financiamento de atividades ilícitas e seus investimentos em infraestrutura do crime.

Essa decisão da Justiça não atinge apenas o bolso da organização, mas também fragiliza sua capacidade de movimentação financeira, essencial para a continuidade de suas ações ilegais.

“A paralela determinação de indisponibilidade de bens dos criminosos, impede que utilizem seus ativos para sustentar os crimes, prejudicando a manutenção da infraestrutura criminosa e a possibilidade de subornos”, disse o delegado.

A Operação Malogro também conseguiu identificar e suspender judicialmente as atividades de três empresas fantasmas utilizadas pela organização criminosa para a lavagem de capitais.

Para o delegado Victor Donizete Oliveira isso não apenas interrompe a fluidez do processo de lavagem, mas também revela a sofisticação das táticas empregadas pelos criminosos para ocultar a origem ilícita dos recursos.

“A Operação Malogro consolida-se como uma resposta enérgica da Polícia Civil de Confresa ao tráfico de drogas, organização criminosa e lavagem de capitais, impactando severamente a infraestrutura e a capacidade financeira do grupo delituoso, reafirmando o compromisso com a justiça e a segurança da sociedade”, finalizou Victor Donizete Oliveira.

Entre no grupo do Semana7 no WhatsApp e receba notícias em tempo real (Clique AQUI).

CâmaraBG agosto


Comente esta notícia