POLÍCIA Quinta-feira, 14 de Setembro de 2023, 08:52 - A | A

14 de Setembro de 2023, 08h:52 - A | A

POLÍCIA / REGIÃO LESTE

Polícia Civil apreende veículo objeto de estelionato em Novo São Joaquim

A ação foi realizada pela Derf de Barra do Garças em parceria com a Delegacia de Novo São Joaquim

PJC-MT



Um veículo objeto de crime de estelionato foi apreendido pela Polícia Civil na manhã desta quarta-feira (13.09), no município de Novo São Joaquim (485 km a leste de Cuiabá). A ação que resultou na apreensão do automóvel Fiat Uno foi realizada pela Delegacia de Polícia de Novo São Joaquim, em apoio à Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Barra do Garças.

As diligências iniciaram após a vítima procurar a Derf para registrar a ocorrência. Ela informou que em 2013 adquiriu o carro através de financiamento bancário, mas acabou tendo dificuldades para pagar as parcelas. Então, em 2016, foi procurada por uma pessoa que se identificou como funcionário do banco, dizendo que ela teria que quitar as prestações vencidas, ou deveria lhe entregar o carro para saldar o débito.

A vítima relatou que, à época, não tinha os valores para quitar a dívida e acabou entregando o Fiat Uno ao suposto funcionário, acreditando que assim resolveria o problema financeiro com o banco. No entanto, passados cerca de três meses, o banco entrou em contato com a comunicante, informando sobre as prestações vencidas e não pagas, ocasião em que percebeu que havia caído em um golpe.

Sete meses depois, a vítima recebeu uma ligação de uma pessoa dizendo que estava na posse do Fiat Uno e gostaria de fazer a transferência do documento de propriedade do veículo.

Somente neste mês de setembro, a vítima conseguiu informações sobre a localização do automóvel, e, diante dos fatos, a Derf de Barra do Garças solicitou apoio à Delegacia de Polícia da cidade.

Os policiais civis de Novo São Joaquim foram até o endereço e realizaram a apreensão do bem. A pessoa que estava na posse do carro também foi ouvida para esclarecimentos e possível identificação do golpista. As investigações continuam visando identificar e responsabilizar criminalmente as pessoas que tenham se beneficiado do dinheiro da venda do veículo.

Conforme o delegado da Derf de Barra do Garças, Nelder Martins Pereira, normalmente para o cometimento do crime de estelionato é preciso a colaboração de um grupo de indivíduos, que emprestam contas bancárias e recebem valores pequenos do montante de dinheiro que o golpista consegue com a aplicação da fraude.

“É uma forma de pulverizar o dinheiro para não chamar a atenção pelo volume depositado. A Polícia Civil tem se empenhado em identificar os criminosos envolvidos nesse tipo de crime”, destacou o delegado.

Entre no grupo do Semana7 no WhatsApp e receba notícias em tempo real (Clique AQUI).

Nilo Aniversário

 



Comente esta notícia