CIDADES Sexta-feira, 02 de Junho de 2023, 18:00 - A | A

02 de Junho de 2023, 18h:00 - A | A

CIDADES / ESTADO GRAVE

Prefeito diz que vai punir responsáveis por caos em UTI de Barra

Setor de alta complexidade teve funcionamento comprometido após inspeção da Vigilância Sanitária Estadual que apontou 94 irregularidades

Da Redação/Ronan de Sá



Um dos setores considerado mais importantes do Hospital Milton Morbeck, em Barra do Garças, a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), destinada a pacientes adultos, recebeu inspeção da Vigilância Sanitária Estadual no último dia 24, após comunicado da Secretaria Municipal de Saúde de que no local havia a presença de uma bactéria multirresistente. Veja relatório no final da matéria.

Durante a inspeção da equipe da Vigilância, foram listados 94 apontamentos no Relatório Técnico de Inspeção Sanitária. Entre os quais estão a não existência de registro de limpeza e desinfecção dos reservatórios de água, falta de registro de validação de esterilização físico, químico e biológico, ausência do registro de limpeza e desinfecção imediatamente antes e após o procedimento de diálise à beira do leito. Foi relatado também a presença de aparelho de RX móvel com defeito dentro do setor de RX.

No termo de interdição, a equipe da (VSE) relacionou 11 irregularidades entre elas a presença de medicação com data de validade expirada [vencida] nos carrinhos de emergência. A Vigilância também condenou a falta do médico instituído junto ao Conselho Regional de Medicina (CRM-MT).

Diante do grave quadro daquele setor, foi suspenso também todo procedimento de diálise à beira do leito, pelo fato da não garantia de segurança do tratamento ao paciente e falta de estruturação da atividade hospitalar. Por esses e outros motivos, o local não receberá pacientes pelos próximos 15 dias.

À reportagem, o prefeito de Barra do Garças, Adilson Gonçalves (PSD), disse que a UTI passa por um processo de desinfecção padrão e que Secretaria Municipal que comunicou a Vigilância Estadual, mas que depois que soube da situação crítica, (que resultou na interdição), prometeu punir os responsáveis.

“Se houve falha humana esta será punida, mas à questão da bactéria, toda unidade hospitalar está sujeita a esse tipo de coisa”. Muitas demandas não dizem respeito à nossa gestão, mas de antecessoras”.

O presidente da Câmara de Vereadores, Gabriel Pereira Lopes - Zé Gota (PSDB), confessa que estranhou a interdição e citou o prêmio TOP Performer conferido àquela unidade de saúde, há pouco menos de dois meses (no final de março) “e agora vem esse relatório com tantos problemas. A gente fica muito preocupado sobre essa questão”, diz ele.

O vereador Geralmino Neto (PSB), disse que se reuniu com o secretário de Saúde, Adilson Tavares e cobrou dele explicações sobre o caos relatado pelo Estado. Neto trouxe à tona a premiação que deve, segundo disse, “ser questionada”.

Um parecer da Vigilância, ao portal de notícias G1 salienta que “Diante das irregularidades evidenciadas na UTI adulto tipo II, foi imposto à medida preventiva cautelar de interdição total da mesma, assim como em decorrência à existência de surto por microrganismos multirresistentes, pendente de conclusão e solução, bem como o estado de gravidade de saúde dos pacientes ali internados, impossibilitando assim a transferência dos mesmos para outra instituição, optou-se dessa forma, pela permanência dos mesmo no local obrigando aos responsáveis legais do estabelecimento a manutenção de toda assistência hospitalar até a alta médica”.

Entre no grupo do Semana7 no WhatsApp e receba notícias em tempo real (Clique AQUI).

Segurança nas Escolas - AL

 

Anexos



Comente esta notícia