CIDADES Quarta-feira, 24 de Maio de 2023, 10:24 - A | A

24 de Maio de 2023, 10h:24 - A | A

CIDADES / INCLUSÃO

Primeira-dama de MT destaca Festival Paralímpico em Canarana como exemplo de ação do SER Família Inclusivo

“Oportunidades devem ser para todos, sem exceção”, afirmou a primeira-dama Virginia Mendes

Vânia Neves | Unaf



Para a primeira-dama de Mato Grosso, Virginia Mendes, o Festival Paralímpico que aconteceu na aldeia Tanguru, da etnia Xavante, localizada em Canarana no último sábado (20.05), demonstra a importância das ações previstas no programa SER Família Inclusivo, que contou com o apoio do Comitê Paralímpico Brasileiro. Esta é a primeira vez que o evento é realizado em uma aldeia indígena, que já contemplou 119 locais espalhados pelas 27 federações. Em Mato Grosso, a iniciativa é coordenada pela Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT), em parceria com a Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc) e a Prefeitura Municipal.

De acordo com o projeto, a finalidade é promover práticas de maneira recreativa, voltadas para crianças e jovens, com ou sem deficiência, através da inclusão social por meio do esporte. Em Canarana, os xavantes participaram das oficinas de vôlei sentado, arremesso de peso, equitação, corrida às cegas e basquete em cadeira de rodas.

Para a primeira-dama de Mato Grosso, Virginia Mendes, o Festival Paralímpico que aconteceu na aldeia Tanguru, da etnia Xavante, localizada em Canarana no último sábado (20.05), demonstra a importância das ações previstas no programa SER Família Inclusivo, que contou com o apoio do Comitê Paralímpico Brasileiro. Esta é a primeira vez que o evento é realizado em uma aldeia indígena, que já contemplou 119 locais espalhados pelas 27 federações. Em Mato Grosso, a iniciativa é coordenada pela Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT), em parceria com a Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc) e a Prefeitura Municipal.

De acordo com o projeto, a finalidade é promover práticas de maneira recreativa, voltadas para crianças e jovens, com ou sem deficiência, através da inclusão social por meio do esporte. Em Canarana, os xavantes participaram das oficinas de vôlei sentado, arremesso de peso, equitação, corrida às cegas e basquete em cadeira de rodas.

Para a primeira-dama de Mato Grosso, Virginia Mendes, o Festival Paralímpico que aconteceu na aldeia Tanguru, da etnia Xavante, localizada em Canarana no último sábado (20.05), demonstra a importância das ações previstas no programa SER Família Inclusivo, que contou com o apoio do Comitê Paralímpico Brasileiro. Esta é a primeira vez que o evento é realizado em uma aldeia indígena, que já contemplou 119 locais espalhados pelas 27 federações. Em Mato Grosso, a iniciativa é coordenada pela Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT), em parceria com a Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc) e a Prefeitura Municipal.

De acordo com o projeto, a finalidade é promover práticas de maneira recreativa, voltadas para crianças e jovens, com ou sem deficiência, através da inclusão social por meio do esporte. Em Canarana, os xavantes participaram das oficinas de vôlei sentado, arremesso de peso, equitação, corrida às cegas e basquete em cadeira de rodas.

Para a primeira-dama de Mato Grosso, Virginia Mendes, o Festival Paralímpico que aconteceu na aldeia Tanguru, da etnia Xavante, localizada em Canarana no último sábado (20.05), demonstra a importância das ações previstas no programa SER Família Inclusivo, que contou com o apoio do Comitê Paralímpico Brasileiro. Esta é a primeira vez que o evento é realizado em uma aldeia indígena, que já contemplou 119 locais espalhados pelas 27 federações. Em Mato Grosso, a iniciativa é coordenada pela Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT), em parceria com a Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc) e a Prefeitura Municipal.

De acordo com o projeto, a finalidade é promover práticas de maneira recreativa, voltadas para crianças e jovens, com ou sem deficiência, através da inclusão social por meio do esporte. Em Canarana, os xavantes participaram das oficinas de vôlei sentado, arremesso de peso, equitação, corrida às cegas e basquete em cadeira de rodas.



Comente esta notícia