GERAL & ECONOMIA Sexta-feira, 08 de Setembro de 2023, 10:17 - A | A

08 de Setembro de 2023, 10h:17 - A | A

GERAL & ECONOMIA / ARAGUAIA

Peixes com chip implantado na barriga são encontrados mortos no rio Araguaia

Chips foram implantados por pesquisadores do projeto Piraíbas, autorizado pelo ICMBio

Mais Goiás



Peixes com chips implantados na barriga foram encontrados mortos no rio Araguaia, o que despertou a preocupação da população Ribeirinha. Os chips foram inseridos por pesquisadores do projeto Piraíbas, autorizado pelo ICMBio, órgão do governo federal. O Piraíbas emitiu nota nessa sexta-feira (6) para comentar o assunto.

“Como é comum em pesquisas científicas, nem sempre os resultados são previsíveis. Lamentavelmente, registramos o óbito de duas piraíbas marcadas com transmissores de telemetria”, diz o texto.

O projeto Piraíba diz que tem, como objetivo, pesquisar os movimentos desses peixes para identificar áreas críticas para seu ciclo de vida, como locais de desova e crescimento. “Essas informações são essenciais para o manejo, definição de épocas de defeso e adoção de medidas de conservação. Até o momento, marcamos mais de 200 peixes com tags e 22 com radiotransmissores. Infelizmente, 02 (duas) piraíbas marcadas em setembro de 2023 vieram a óbito após a liberação. No entanto, em setembro do mesmo ano, conseguimos rastrear com sucesso diversos peixes marcados, incluindo indivíduos marcados em novembro de 2022”.e um veículo Gol que acabou dentro do Rio Araguaia, em frente à rampa náutica do município. A dinâmica dessa ocorrência também é desconhecida.

Além dos dois peixes marcados que vieram à óbito, outros não marcados, sem relação com as atividades do projeto, também foram encontrados mortos no mesmo período. Na nota, o projeto reconheceu que “além das lacunas em nosso conhecimento sobre o comportamento da piraíba, ainda não avaliamos completamente os efeitos da captura pela pesca, manuseio e a mortalidade resultante da marcação eletrônica”.

“A perda de peixes é um efeito indesejado em projetos de pesquisa científica, e estamos comprometidos em atenuar, minimizar e evitar esses efeitos com base em nossa experiência técnica e conhecimento prévio. Nossa equipe está empenhada em investigar as causas que levaram ao óbito desses dois indivíduos”, completa a nota.

A Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Goiás disse, também em nota, que tomou conhecimento do assunto e que as equipes de fiscalização estão acompanhando o assunto.

Entre no grupo do Semana7 no WhatsApp e receba notícias em tempo real (Clique AQUI).

Sicredi

 

 


Comente esta notícia