GERAL & ECONOMIA Terça-feira, 23 de Fevereiro de 2021, 08:10 - A | A

23 de Fevereiro de 2021, 08h:10 - A | A

GERAL & ECONOMIA / Assédio

Enfermeira tem casa invadida enquanto gravava vídeo de dança no Paraná

Enfermeira estava em casa com a filha de 11 anos quando foi surpreendida. Angela afirmou ter feito um Boletim de Ocorrência e disse que acredita que o homem invadiu o local atrás de sua filha

Pragmatismo Político



Uma mulher teve a casa invadida na última quinta-feira (17) enquanto gravava um vídeo de dança e a cena foi flagrada pela câmera. O caso aconteceu na cidade de Paranaguá (PR), a 90 km de Curitiba.

Nas imagens, é possível ver que o homem empurra o portão e invade a propriedade da enfermeira Angela Gonçalves, que estava em casa com a filha de 11 anos.

O homem entra na casa e pega Angela de surpresa, tentando agarrá-la. A mulher o expulsa da casa batendo nele com tapas e empurrões. No final, chega a dar uma voadora no sujeito, que foge.

Em seu perfil no Facebook, Angela publicou o vídeo, alertando para o perigo da situação. Ela afirmou ter feito um Boletim de Ocorrência e disse que acredita que o homem entrou na casa atrás de sua filha.

“Gente, leiam um pouco sobre psicopatia. Eu acho que esse cara me confundiu enquanto espiava no portão, com minha filha. Eu havia aberto o portão uma meia hora atrás, porque recebi uma visita no portão, e acabei não trancando de novo, para minha infelicidade. Eu lavrei um BO na Polícia Civil de Paranaguá”, escreveu a enfermeira.

“Alerta do vídeo, para cuidarem das crianças. Eles chegam assim, sorrateiros, oferecendo ajuda, doces, fingindo conhecer a família. São pessoas doentes por sexo”, escreveu Angela.

“A reação de sorrir para o indivíduo foi porque realmente no primeiro instante, no susto, eu achava que o conhecia, mas ao entrar na minha casa e tentar me agarrar, eu soco ele”, afirmou.

Em entrevista ao site BHAZ, a enfermeira reafirmou que publicou o vídeo para alertar outras mulheres. “É bem complicado, uma situação inesperada. Não deu para ver que tinha gente entrando, ele tirou o chinelo e deu dois passos pra frente. Eu ri de nervosismo, foi tudo muito rápido”, explica Angela.

Angela disse que percorreu o bairro em busca de informações sobre o homem. “Procurei saber na vizinhança, mas parece que ele não mora no bairro, ninguém nunca o viu por aqui”.



Comente esta notícia