POLÍCIA Quinta-feira, 03 de Agosto de 2023, 07:10 - A | A

03 de Agosto de 2023, 07h:10 - A | A

POLÍCIA / R$ 22 mil

Quadrilha é presa por receber pix de vítima de roubo em Barra do Garças

O crime de roubo e cárcere privado ocorreu no dia 04 de fevereiro em uma residência no bairro Cristino Cortes

Da Redação



A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Barra do Garças (509 km a leste de Cuiabá), deflagrou nesta quarta-feira (02.08), a Operação Ação e Reação, para cumprimento de mandados de prisão e busca e apreensão contra uma organização criminosa envolvida em um crime de roubo com restrição de liberdade das vítimas ocorrido no mês de fevereiro no município.

A operação, que tem como alvo, suspeitos de receberem em suas contas bancárias, valores subtraídos das vítimas, contou com apoio da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Rondonópolis (212 km ao sul de Cuiabá), cidade onde os mandados foram cumpridos. Todos os mandados, sendo seis ordens de prisão e seis de busca e apreensão, foram cumpridos.

Os suspeitos presos foram interrogados e indiciados pelo concurso de pessoas como partícipes nos crimes de roubo, cárcere privado e associação criminosa.

O crime de roubo e cárcere privado ocorreu no dia 04 de fevereiro em uma residência no bairro Cristino Cortes em Barra do Garças. Na ocasião, os suspeitos obrigaram a vítima a fazer diversas transferências via pix, totalizando o valor de R$ 22 mil.

Durante as investigações para apurar os fatos, ficou evidenciado o lastro de todo montante transferido e o vínculo de seus beneficiários. Com os suspeitos devidamente identificados, todos moradores da cidade de Rondonópolis, o delegado da Derf Barra do Garças, Nelder Martins Pereira, representou pelos mandados de prisão e busca e apreensão contra os suspeitos, que foram deferidos pela Justiça.

“A operação busca reprimir o recebimento de dinheiro do crime, tendo como alvo os integrantes da organização criminosa que dão apoio à violenta subtração dos valores ou aqueles que, voluntariamente, serviram para emprestar suas contas bancárias para tentar dissimular o rastro do dinheiro furtado”, explicou o delegado.

Os executores do crime de roubo e cárcere privado, cometido em Barra do Garça, foram identificados durante a investigação policial, contudo, alguns encontram-se foragidos, e continuam sendo procurados pela Polícia.

Fonte: PJC-MT

Entre no grupo do Semana7 no WhatsApp e receba notícias em tempo real (Clique AQUI).

Queimadas Governo

 



Comente esta notícia