GERAL & ECONOMIA Segunda-feira, 23 de Outubro de 2023, 07:37 - A | A

23 de Outubro de 2023, 07h:37 - A | A

GERAL & ECONOMIA / Paixão colorada

Portal revela intenção de bilionário do agro de MT de comprar time da série A

Internacional estuda mudança em estatuto para início de negociação

Compre Rural



Bilionário envolvido em uma das maiores empresas de agronegócio do Brasil, Elusmar Maggi, demonstrou interesse em ser proprietário do Sport Club Internacional. O empresário já esteve envolvido em algumas ações com o clube e não esconde a vontade de contribuir para alavancar o sucesso do time
Colorado nos campos.

As informações divulgadas apontam que o empresário demonstrou abertamente a intenção de compra do time. Mas não basta simplesmente querer comprar. Para que ele possa assumir o clube, primeiro será preciso que o estatuto do Internacional seja alterado para que alguém possa comprar.

Dessa forma, provavelmente, o novo dono do Colorado assumiria as dívidas da equipe como forma de pagamento e ainda teria que fazer investimentos no
time.

Elusmar Maggi é sócio do Grupo Bom Futuro, uma das maiores empresas do setor no país, e que celebrou recentemente mais de quatro décadas de atividade em Mato Grosso.

Sua história está profundamente entrelaçada com o grupo empresarial, criado com o apoio da família Maggi Scheffer. Outros integrantes que carregam o sobrenome Maggi, estão envolvidos na Amaggi.

Saiba quem é o produtor rural que virou protagonista na decisão do  Campeonato Brasileiro

A história da empresa começou com a chegada da família Maggi Scheffer no estado, que com o tempo adquiriu área e usou o nome para o grupo empresarial.

Elusmar já esteve envolvido em ações com o Internacional e foi o responsável por pagar R$ 1 milhão para que o lateral Rodinei pudesse jogar contra o Flamengo.
Na época, o Colorado estava disputando o título do Brasileirão de 2020 com o Rubro-Negro.

Publicamente, nunca a diretoria do Internacional se manifestou a respeito de uma futura venda do clube.Porém, os problemas financeiros da instituição são conhecidos desde 2016, ano da queda para a Série B.

O Grupo Bom Futuro, onde Maggi é sócio juntamente com Eraí Maggi, dispõe de 445 caminhões, três mil toneladas de peixes e cerca de 110 mil cabeças de
gado. Os Maggi, do Mato Grosso, foram eleitos como uma das famílias mais ricas do Brasil, com uma fortuna estimada em mais de US$ 8 bilhões pela revista Forbes.

Essa riqueza é proveniente da produção e comercialização de grãos, sendo uma das maiores do mundo. Além da conexão com o Internacional, Elusmar Maggi também tem laços de parentesco com personagens importantes do agronegócio e da política brasileira. Ele é irmão de Eraí, conhecido como “rei da soja”, e primo do ex-senador e exministro da Agricultura, Blairo Maggi.

A criação bovina também é destaque na Bom Futuro. Nas unidades, são destinadas grandes áreas para a modalidade, atualmente, na pecuária são 93 mil hectares. São criados mais de 130 mil cabeças de gados das raças Nelore e cruzamento industrial em sistema de semiconfinamento e confinamento. A vasta experiência, empenho e o auxílio da tecnologia, permitiram a Bom Futuro construir o maior projeto de integração lavoura-pecuária (ILP) do mundo, com uma área de 31 mil hectares para essa modalidade.

Com expertise na área da agricultura, a empresa tem como norte o fornecimento de alimentos para a população de forma sustentável e atua também nas áreas de pecuária, piscicultura, sementes, energia, aeroportuária e imobiliário. No campo dos esportes, o Grupo Bom Futuro cedeu um terreno em Cuiabá (MT) para a construção de um autódromo internacional.

Por diversas vezes, Elusmar foi convidado pelo Inter e esteve no estádio Beira-Rio para assistir à partida do time do coração.



Comente esta notícia