POLÍCIA Sábado, 13 de Maio de 2023, 09:41 - A | A

13 de Maio de 2023, 09h:41 - A | A

POLÍCIA / Novo cangaço

Operação policial completa 33 dias com 17 mortos e cinco presos

Policiais de 5 estados continuam na região oeste do Tocantins para capturar outros integrantes do grupo

G1 TO



O cerco policial montado para capturar criminosos, suspeitos de atacar a cidade de Confresa (MT), completa 33 dias nesta sexta-feira (12).

 O balanço indica que 17 integrantes do grupo morreram e cinco foram presos. Acredita-se que pelo menos mais três criminosos seguem em fuga pela região oeste do Tocantins.

 Imagens divulgadas pela Polícia Militar nesta manhã mostram viaturas da polícia percorrendo estradas vicinais à procura dos suspeitos.

 Os cerca de 350 policiais de cinco estados seguem na região na TO-080, no entorno dos municípios de Pium, Marianópolis e Caseara. Eles só devem sair quando todo o bando for capturado.

O último confronto entre policiais e criminosos foi registrado na quarta-feira (10), quando ocorreu a morte do 17º suspeito na TO-354, próximo da fazenda Terra Boa, na zona rural de Pium.

 O corpo já foi identificado pelo Instituto Médico Legal (IML). O homem é natural de São Paulo.

 Os nomes dos criminosos mortos no confronto não vêm sendo divulgados pela polícia. A maioria dos envolvidos no ataque a Confresa (MT) é do estado de São Paulo – nove mortos e dois presos, dentre os 19 que foram encontrados na área de buscas.

Entre os cinco presos, dois foram encontrados no cerco policial na zona rural do Tocantins. Outros três suspeitos de ajudarem no planejamento logístico foram encontrados em Redenção (PA) e em Araguaína (TO).

Após fugirem para o estado, o bando chegou a ficar dias escondidos na copa das árvores e se alimentaram de espigas de milho e sal de ureia, usado na alimentação de gado.



Comente esta notícia